O site de RedCLARA usa cookies para te oferecer a melhor experiência possível na web.

Ao continuar a usar este site, você concorda em que armazenemos e acessemos cookies em seu dispositivo. Por favor, certifique-se de ler a Política de Cookies. Learn more

I understand

Rede Universitária de Telemedicina inaugura unidades

Votos do utilizador: 1 / 5

Estrela ativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 
Universidades federais da Bahia, Campina Grande e Rio de Janeiro foram beneficiadas.

A Rede Universitária de Telemedicina (Rute), iniciativa que promove a integração das atividades de telessaúde no Brasil, atinge a marca de 160 instituições beneficiadas no país. Nesta semana foram realizadas três inaugurações: dia 7/12, na Maternidade Climério de Oliveira e no Centro Pediátrico Professor Hosannah de Oliveira, da Universidade Federal da Bahia (UFBA); dia 9/12, no Hospital Universitário Alcides Carneiro, da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), na Paraíba; e hoje, dia 10/12 no Instituto de Ginecologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Lançada em 2006, a Rute está presente em todas as regiões brasileiras. É uma iniciativa do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), que recebe recursos da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), e é coordenada pela instituição que administra a rede acadêmica Brasileira: a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP). As instituições que fazem parte do programa são beneficiadas com equipamentos, conexão em banda larga e adequação de salas de videoconferência. O principal benefício é a comunicação entre unidades de saúde do país por meio da utilização de tecnologias de informação e comunicação, para avaliação remota de casos clínicos, pesquisa e educação continuada em saúde, ou mesmo no pré-diagnóstico a distância.

Os Grupos de Interesse Especial (ou SIG, na sigla em inglês), nos quais os profissionais de saúde das instituições pertencentes à rede montam uma agenda de videoconferências, são o principal exemplo da integração promovida pela Rute. Além de debates e discussões de caso, alguns destes grupos realizam diagnósticos e aulas a distância. Em todo o país, já são 39 SIGs. Os principais beneficiados são alunos, residentes e profissionais do hospital, que podem participar dos SIGs e ter acesso a informações para pesquisa e desenvolvimento.