O site de RedCLARA usa cookies para te oferecer a melhor experiência possível na web.

Ao continuar a usar este site, você concorda em que armazenemos e acessemos cookies em seu dispositivo. Por favor, certifique-se de ler a Política de Cookies. Learn more

I understand

O IMPACTO DE BELLA: A América Latina poderá enfrentar emergências climáticas com acesso confiável de alta velocidade a dados vitais de observação da terra de Copernicus

Votos do utilizador: 2 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Cientistas, cidadãos e organizações querem ajudar a combater as mudanças climáticas e garantir um futuro melhor, pesquisando, desenvolvendo e implementando soluções inovadoras que também criam empregos e impulsionam o crescimento econômico.

Por outro lado, legisladores e autoridades públicas em todo o mundo precisam definir leis, fazer escolhas bem informadas e, muitas vezes, tomar decisões críticas em casos de emergência, como um desastre natural ou crise humanitária.

Sem acesso confiável e de alta velocidade aos dados de observação da Terra (EO), isso pode ser um verdadeiro desafio e se torna absolutamente crítico em tempos de emergência. Por exemplo, um pesquisador na América Latina que mapeia uma região de 500 km2 precisaria de pelo menos uma hora para baixar os dados de EO em um serviço comercial padrão da Internet. Em momentos assim, economizar tempo quase certamente significa salvar vidas.

O que é Copernicus?

Copernicus é o programa de observação da Terra da União Europeia, que, olhando para o nosso planeta e seu meio ambiente, busca beneficiar todos os cidadãos europeus. Copernicus oferece serviços de informação baseados em observação da Terra por satélite e dados in situ (não espaciais).

O gerenciamento do programa está a cargo da Comissão Europeia, que o implementa em parceria com os Estados-Membro, a Agência Espacial Europeia (ESA), a Organização Europeia para a Exploração de Satélites Meteorológicos (EUMETSAT), o Centro Europeu de Previsões Meteorológicas de Médio Alcance (ECMWF), Agências da UE e Mercator Océan.

Vastas quantidades de dados globais de satélites e sistemas de medição terrestres, aéreos e marítimos, fornecem informações para ajudar os provedores de serviços, autoridades públicas e outras organizações internacionais a melhorar a qualidade de vida dos cidadãos europeus e além. Os serviços de informação fornecidos são livres e abertos aos usuários, sejam eles quem forem.

Os dados estão aí. De que forma, então, cientistas, cidadãos, organizações, legisladores e autoridades públicas podem acessá-los de forma rápida e segura?

Sem conectividade a uma Rede Nacional de Pesquisa e Educação, um trabalhador de emergência na América Latina que mapeia uma região de 500 km2 poderia esperar 60 minutos para baixar dados críticos. Com a conclusão do BELLA em 2021, a conectividade de alta velocidade fornecerá os mesmos dados em apenas 7 minutos.

Dados do Copernicus na América Latina

As Redes Nacionais Latinoamericanas de Pesquisa e Educação (NRENs) - como as do Brasil, Chile, Equador e muitas outras - estão conectadas a RedCLARA, a rede regional latinoamericana de pesquisa e educação. As NRENs freqüentemente interconectam agências governamentais, ministérios, pesquisadores acadêmicos e científicos, os quais requerem dados de EO em alta velocidade e sem os problemas de latência causados pela rota de conexão atual para Copernicus - via América do Norte.

RedCLARA e GÉANT - a rede pan-europeia de pesquisa e educação - são parceiras do Consórcio BELLA.

Em 2021, BELLA aumentará exponencialmente o acesso aos dados de Observação da Terra de Copernicus para a América Latina e potencializará a colaboração em pesquisas climáticas com a Europa.

Um novo sistema de cabo submarino direto entre Brasil e Portugal, construído por EllaLink em conjunto com o Consórcio BELLA, será concluído no início de 2021, reduzindo a distância atual de conexão via América do Norte em cerca de 300% e diminuindo significativamente os custos de conectividade.

Começando com uma conexão inicial de 100 Gbps entre RedCLARA e GÉANT - junto com uma conexão adicional de 100 Gbps para o tráfego do Copernicus, o sistema pode ser dimensionado para 4,5 Tbps - o suficiente para pesquisa e colaboração educacional “à prova de futuro” pelos próximos 25 anos.

E não se trata apenas de velocidade: a latência - o atraso entre o navegador e o servidor - será bastante reduzida, como resultado da distância de conexão muito mais curta fornecida por BELLA.

Acesso confiável e de alta velocidade

Agora considere o mesmo pesquisador: com uma conexão a uma NREN, que por sua vez está conectada ao backbone da RedCLARA e via BELLA ao backbone pan-europeu GÉANT, ele conseguirá fazer o download de dados em apenas sete minutos. Em um momento de emergência, você não concorda que o acesso de alta velocidade e confiável a dados vitais é de grande importância?

Para mais informações sobre o Programa BELLA, visite https://bella-programme.redclara.net/

Foto: Copernicus